Análise – GRID Autosport

GRID Autosport

Desenvolvedor: Codemasters
Data de lançamento: 24/06/2014
Plataformas: Windows, Linux, Mac, Playstation 3, Xbox 360, Nintendo Switch, Android, iOS

Enredo
No jogo você é um piloto que pode competir em 5 diferentes categorias: Touring (estilo Stock Car ou NASCAR), Endurance (corridas de resistência), Open Wheel (estilo Formula 1), Tuner (foco nos carros tunados) e Street (circuitos de rua). Quem constrói a história é você, que precisa dar o melhor de si a cada corrida para satisfazer as expectativas da sua equipe e patrocinadores. A cada objetivo cumprido você ganha pontos de experiência que te ajudam a subir os degraus da carreira automobilística, conseguir acesso a melhores contratos, competições e carros.

Jogabilidade
Para quem está acostumado com Need for Speed, Flatout ou outros jogos de corrida casuais, GRID é um desafio enorme. A cada curva das pistas, é preciso ter em mente a hora correta de frear e acelerar o veículo. O jogo até tenta te ajudar, mostrando no asfalto os pontos corretos para frenagem e a melhor forma de se posicionar, mas acostumar-se com isso e tornar-se um piloto realmente bom é uma questão de prática. Assim como dirigir um carro real, no GRID é preciso concentração e bom senso para não acabar saindo da pista ou batendo seu carro na saída de uma curva mais fechada.

Estilo visual
GRID tem um estilo gráfico realista, e conta com circuitos reais reproduzidos de forma detalhada. Para quem curte Formula 1, a lista de pistas é um prato cheio: tem Hockenheim (Alemanha), Spa-Francorchamps (Bélgica), Red Bull Ring (Áustria), entre outros. Porém, alguns circuitos clássicos ficaram de fora, como Interlagos e Mônaco, o que pessoalmente me deixou decepcionado. Há também vários circuitos de rua situados em cidades reais como Washington, Barcelona e Paris.

Trilha sonora
O que o jogador mais ouve ao longo das corrida é sem dúvida é o som de motores, o que pode agradar os fãs do automobilismo mas talvez seja um pouco entediante para quem curte mais os títulos casuais. Sempre adorei as playlists da série Need for Speed: de hip-hop e metal até música eletrônica, havia um pouco de tudo. Senti falta dessa variedade no GRID, que conta somente com meia dúzia faixas de música eletrônica ambiente, que tocam durante as telas de carregamento e menus. Assim como uma música de elevador, a trilha sonora do game cumpre sua função, mas não empolga nem um pouco.

Considerações finais
GRID surpreende pelo estilo visual e pela jogabilidade que pode não ser tão divertida para jogar com os amigos sem compromisso, mas que desafia o jogador e passa uma sensação de adrenalina. A carreira é bem linear, mas oferece variedade de corridas e carros, de forma que a aventura nunca se torna entediante ou repetitiva demais. o jogo conta também com multiplayer online e local, o que é ótimo para reunir os amigos e testar suas habilidades ou simplesmente se divertir correndo em pistas pelo mundo afora.

  • Resumo:
    • Recomendado para quem gosta de: jogos com física realista, automobilismo, belas paisagens e cidades ao redor do mundo
    • Não recomendado para quem gosta de: jogos de corrida casuais, curva de aprendizado pouco acentuada, trilha sonora variada

Fonte: https://store.steampowered.com/app/255220/GRID_Autosport/